Selenita

O pior dos meus problemas é o espaço-tempo

A distância dentre os teus olhos de um céu que não acaba

E o tempo que eu fiquei perdido lá

Não tem mais sincronia

Nem gravidade

Fica tudo suspenso

O corpo se esquece de fazer direito

O coração bate pra cima e pra baixo dentro do peito

Invés de ir pra frente e pra trás

Não adianta queimar as palavras

Nem socar paredes

A tua toxina escorre nas minhas narinas

Entra debaixo das unhas

Se espalha nos dentes

O sorriso ácido

Derrete tudo em volta

E o ar vai embora

Quero gritar com toda força que resta

Mas o som não se propaga no vácuo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s